Métodos Ágeis fora da TI

Há algumas semanas, fiz uma publicação no LinkedIn com duas ideias de artigo e esta foi a mais votada: Como utilizar os Métodos Ágeis fora da TI.

Antes, o que são os “Métodos Ágeis”?

Pra explicar a origem e tudo mais dos Métodos Ágeis, precisaria de vários artigos. Vamos dizer que a origem é bem mais antiga do que você imagina, parte dela lá do Lean da época da Segunda Guerra e que, somente nos últimos anos práticas como SCRUM, KANBAN, XP e o próprio Lean surgiram como “alternativas” ou, como meu amigo Vitor Massari diz, “balas de prata” em relação ao Gerenciamento de Projetos Tradicionais.

Coloquei “alternativas” entre aspas pois entendo que, na verdade, estas práticas complementam o Gerenciamento de Projetos, ao invés de anulá-lo como muitos insistem. E como qualquer área precisa entregar projetos – e estes projetos precisam ser gerenciados – porque não utilizar métodos ágeis pra isso, mesmo não sendo da área de Tecnologia?

Estas práticas buscam, essencialmente, aumentar a flexibilidade, melhorar a comunicação, incentivar a proximidade entre os envolvidos no projeto e, além disso, dar mais autonomia a equipe na tomada de decisões que irão acelerar (ou, ao menos, facilitar) a entrega dos projetos

Mudança Cultural

Antes de continuar, vamos ver o que diz o “Manifesto Agil”

  1. Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas
  2. Software em funcionamento mais que documentação abrangente
  3. Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
  4. Responder a mudanças mais que seguir um plano

Tirando o item 2, tem algo nos itens falando sobre exclusivamente de algo da área de tecnologia? Não.

No seu trabalho, certamente você já passou por problemas onde seu ‘coleguinha’ disse “você não leu o email? problema seu” (item 1), ou “Você assinou o contrato e agora tem que aceitar do jeito que está e ponto final” (item 2) ou “Não posso voltar atrás na decisão de ontem” (item 4). Se trocar “software” do item 3 por algo do seu setor, certamente terá ouvido coisas como “você me mandou um manual gigante mas eu nem consigo ligar seu produto!“.

Essa mudança cultural de entender melhor o cliente – que pode ser interno ou externo da empresa – flexibilizar as negociações e mudanças, melhorar o engajamento e convivência entre as pessoas é independente do setor. Toda empresa precisa – e vai – ter que passar por uma transformação cedo ou tarde para entregar valor e crescer.

Aplicando fora da TI

O uso dos Métodos Ágeis não é exclusivo para o desenvolvimento de software, aplicativos, sistemas e tecnologias. Pode sim ser aplicado em qualquer setor.

Você pode, por exemplo, criar um Kanban simples, com colunas como: “pendencias, pronto pra começar, fazendo, finalizado e bloqueios” e colocar as atividades daquela semana, quinzena ou mês.

Quando você tentar fazer isso pela primeira vez, identificará as coisas que você “faz por fazer” ou “no impulso“, também conhecido como “fazejamento“: aquilo que fazemos sem planejamento algum ou “pra ontem“. Sentirá a necessidade de planejar o seu dia, semana, quinzena ou mês.

Desta forma, na próxima vez que for organizar as tarefas no próximo período – conhecido como Sprint em métodos ágeis, que geralmente tem 15 ou 30 dias – irá dedicar um tempo planejando e entendendo suas atividades (opa, estamos falando do grooming e planning do Scrum?).

Ao final do período, você irá entregar aquilo que você se comprometeu, mostrar onde falhou e tudo aquilo que “surgiu do nada” que você teve que fazer ou aumentou a carga de trabalho no mês (opa, será a Review do Scrum?)

Além disso, você perceberá aquilo que você fez bem, fez mal e onde pode melhorar para o período seguinte (ahá! a Retrospectiva da Sprint do Scrum?), irá anotar isso e planejar o período seguinte.

Perceberá que precisará ter um alinhamento melhor com seu gestor ou o que entrega as demandas pra você (olha o papel do PO do Scrum ai) e com o tempo irá até mesmo negar atividades quando elas estiverem mal explicadas (cadê o perfil de AF do Scrum pra escrever as histórias de forma SMART?)

Conclusão

Você consegue aprender Scrum rapidamente e, mesmo sem experiência, poderá praticar ao menos estas atividades simples: Planejar seu trabalho do mês, organizar o que está fazendo e o que fará, refletir diariamente sobre as atividades e, no fim do mês, entregar o que planejou, refletir, avaliar e seguir em frente!

Não sou o “ET Bilu” mas digo: Busque conhecimento. Aprenda algo novo e coloque em prática. Perceberá que muita coisa da TI e seus métodos ágeis pode – e vai – facilitar o seu dia a dia.

Vocês se lembram que, quando eu me comprometi a emagrecer, usei o Scrum no primeiro Ano para organizar meus planos, objetivos, metas e entregas, quinzena por quinzena? Resultado: Perdi 30kg em 5 meses (e quase 50 em pouco mais de 1 ano).

Foque nas práticas, naquilo que irá ajudar você no dia a dia – e você irá longe.

Qualquer dúvida, só deixar comentário! Obrigado pela leitura!

 

Post Original: https://www.linkedin.com/pulse/m%C3%A9todos-%C3%A1geis-fora-da-ti-alexandre-vignado/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
<span>%d</span> blogueiros gostam disto: